Que tal acampamento de férias?


O mê de julho já está quase aí, as férias escolares também e você ainda nem planejou o que fazer nas. Pior, por conta do trabalho nada de viagens em família e seus filhos irão ficar tristes com a notícia...na verdade não precisa ser assim, já pensou em acampamento de férias?Saiba que pode ser uma excelente opção! Veja como não errar na hora da escolha de um.

Se você tem planos de que seu filho curta um período das férias em um acampamento educativo, a primeira dica para que a experiência seja bem-sucedida é muito simples: sente-se com a criança, pergunte se isso é realmente o que ela quer e não é você que está decidindo tudo sem dar a ela a chance de optar por outra coisa. Muitas vezes, ela pode estar empolgado apenas com o seu entusiasmo em permitir que ele viva um momento de certa independência e autonomia, mas no fundo, pode ser que prefira ficar em casa com você. Nesse caso, mudança de planos.

“Mandar uma criança para um acampamento é um trabalho de construção”, pondera Marília Rabello, presidente da Associação Brasileira de Acampamentos Educativos, a ABAE. “A criança tem que ser preparada para isso. Não é o caso dos pais se separarem, a criança não ter com quem ficar e aí vir a solução de mandar o filho acampar em um momento em que ele está inseguro, quando não está preparado, quando está em um momento de vida complicado. A criança precisa estar emocionalmente preparada”, alerta.

Bom, se esse não é o seu caso e seu filho está louco de vontade de acampar e até já fez as malas, uma boa ideia é escolher um pacote com poucos dias pra começar, como fez o advogado Marcos Ragazzi, pai de Guilherme, que começou a acampar aos 8. Na primeira vez, o garoto ficou de quarta-feira até domingo acampado e partiu “um pouco apreensivo”, conforme relata o pai, e até passou uns apertos na primeira noite. Mas logo se despachou e curtiu a oportunidade de viver um momento diferente. Hoje, aos 11, vai em todas as férias escolares e fica desde sexta-feira de uma semana até o domingo da outra.

Ragazzi conta que não teve dúvida ao escolher o acampamento para o filho porque foi acampante do mesmo local e, por isso, já confiava que eles teriam carinho e experiência para tratar qualquer tipo de contratempo que surgisse. Sobre os ganhos do filho com a oportunidade, ele acredita que o maior benefício é sentir a confiança dos pais de que ele pode se virar sozinho. “A experiência engrandece a autoestima”, atesta.

QUEM VAI CUIDAR DO MEU FILHO?

Segundo Marília Rabello, da ABAE, a maior preocupação dos pais na hora de escolher um local é em relação ao material humano. Por isso, os acampamentos associados ao órgão mantém processos de seleção elaborados e treinamentos específicos. No caso do Peraltas, por exemplo, Rabello conta que uma das etapas de capacitação é formada por um curso em que são relembrados princípios de ética, conduta. Os monitores são orientados, entre outras coisas, a não falar gírias, a não apelidar as crianças, a não dar banho nelas, mas sim orientá-las de como podem executar a tarefa sozinhas.

Acampante do Pumas dos 8 aos 17 anos, Luiz Henrique Pimentel, que hoje tem 18, sabe bem como é a responsabilidade de cuidar de crianças. Depois de muitos anos curtindo as férias como visitante do acampamento, ele resolveu tentar uma vaga como monitor no mesmo local em janeiro de 2010. “Minha grande influência para querer realizar esse trabalho foram os próprios monitores que eu conheci”, explica. A principal característica desse tipo de profissional de acordo com Pimentel, que cuidou de um grupo de 4 crianças de 5 a 8 anos, é “ser atencioso e carinhoso principalmente nos primeiros dias, quando eles podem ter saudades de casa. Atenção na hora da comida também é muito importante”, garante.

Leia as dicas abaixo e não erre ao escolher o acampamento para o seu filho. Não esqueça de convidá-lo-o para também participar do processo. (colaborou Denise de Almeida).


IMPORTANTE: Procure organizar a viagem pessoalmente para esclarecer todas as dúvidas possíveis e conhecer os responsáveis pelo acampamento. Se for possível, visite o local com seu filho.


  • Avalie a proposta educacional do acampamento

  • Averigue a experiência e a formação profissional dos coordenadores e monitores.

  • Observe a relação entre o número de acampantes/número de monitores, levando em consideração a faixa etária. Ou seja, uma única pessoa fica responsável por quantas crianças? O ideal é que crianças mais novas fiquem em grupos menores.

  • Informe-se sobre a alimentação oferecida. É importante checar o número de refeições oferecidas e o cardápio do lugar.

  • Cheque se o local tem profissionais de saúde, facilidade de comunicação e transporte de emergência.

  • Confira se a programação do local está adequada ao que seu filho e ao que você espera da viagem. Os objetivos são os mesmos?

  • Verifique se a infraestrutura do acampamento é adequada para a realização das atividades propostas. Se possível, visite o local antes com seu filho. Se não der, veja fotos e vídeos do lugar.

Fonte: Uol Crianças - ABAE Associação Brasileira de Acampamentos Educativos
Fonte: Uol Crianças e ABAE - Associação Brasileira de acampamentos educativos

Comentários